BelowTheBelt


Actores

                                                                   “I don’t know what is better than the work that is given to the actor – to teach the human heart the knowledge of itself.

Sir Laurence Olivier

Sandra Celas nasceu em Lisboa. Fez o curso de expressão dramática no teatro de Carnide, palco onde se estreou com a peça “Restos” de Bernardo Santareno em 1997. Mais tarde frequentou o curso de actores no IFICT. Na sua formação destacam-se ainda o workshop de “Sense memories” e “Script analysis” orientado por Michael Margotta (um dos fundadores do “Método  e actual director do Actor´s Studio di Roma), o workshop com Marcia Haufrech e o curso de Técnica Meisner com John Frey.

 Desde 2002 que exerce profissionalmente a actividade de actriz, tendo integrado o elenco de várias peças de teatro entre as quais Viriato com encenação de Jorge Fraga e Vai Vem com encenação de José Wallenstein; séries/novelas para televisão como Inspector Max, Deixa-me Amar ou Morangos com Açúcar, assim como diversos telefilmes e curtas-metragens.

Carlos Martins é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Franceses e Ingleses, pisou pela primeira vez o palco no espetáculo musical “My Fair Lady”. Participou como bailarino em exibições e competições de Hip Hop, realizou curso de formação de actores com Ávila Costa e frequentou o Curso de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa. Fez parte da Gala das Sete Maravilhas para a TVI, onde se destacou pela sua interpretação de Jacques Brel e continuou o seu percurso em teatro musical no espetáculo “Jesus Cristo Superstar”(Apóstolo Pedro) e West Side Story (Chino). Faz dobragens de desenhos animados tendo já gravado variadíssimas séries e bandas sonoras. Recentemente, concluiu o curso de Técnica de Meisner no John Frey Studio for Actors onde trabalhou textos de Tennessee Williams, Neil Simon e Paul Thomas Anderson.


Sofia Aparício iniciou-se no mundo da representação em 1997 com A Dama das Camélias, com encenação de Carlos Avilez no Teatro Experimental de Cascais.

Em Teatro, fez parte de várias produções do Teatro Aberto, como Paisagens Americanas (2004) ou O Bosque (2007), ambas encenações de João Lopes, ou "O Caracal", encenada pelo Alberto Seixas Santos nos Artistas Unidos.

Em televisão, participou, entre outros, em Super Pai (2000), Fúria de Viver (2001), Vingança (2007) e mais recentemente em O que as Mulheres Querem (2011).

Em cinema, participou "E o tempo passa" (Alberto Seixas Santos), "Contacto" (Nicolau Breyner) e "I'll see you in my dreams" (Miguel Angel Vivas) entre outros.

Tem apostado em formações de curta duração, tendo trabalhado com Marcia Haufrecht, Lenard Petit, Guti Fraga e John Frey, completando em 2013 o curso anual do JFSA em Técnica de Meisner.


Patrícia Castelo-Branco nasceu a 25 de Maio em Lisboa, Portugal. A sua carreira teve inicio aos 18 anos no papel de Inês na telenovela Filha do Mar da TVI, ao mesmo tempo prosseguia o curso de Comunicação Social e Cultural na Universidade Católica.

Após terminar a telenovela Filha do Mar Patricia decide congelar a sua matricula na Universidade Católica e com apenas 20 anos parte sozinha para Nova York no intuito de estudar representação no Lee Strasberg Film and Theater Institute. Inicialmente ia apenas fazer o curso de 9 meses mas Anna Strasberg atribuio-lhe um Prémio de Mérito pelo seu desempenho ao longo desse seu tempo na escola e acabou por completar o curso de dois anos. Enquanto esteve em Nova York participou em vários filmes independentes e peças Off-Broadway tais como Closer de Patrick Marber e Sexual Perversity in Chicago de David Mammet ambas no Marilyn Monroe Theater em Nova York, Estados Unidos.

Em 2005 voltou para Portugal.

Desde que voltou para Portugal fez uma participação especial no papel de professora num dos Casos da Vida da vida da TVI (Longe de Mais) ao lado de Vitor Norte, São José Lapa e Maria João Luís assim como no papel de Rita num anúncio da Ok Teleseguro na campanha 2 por 1 para o brazil em 2007.

Neste momento encontra-se a estudar a Técnica Meisner com o professor americano John Frey enquanto vai fazendo alguns projectos de teatro e cinema independentes.


Tiago Fernandes nasceu em Lisboa, tendo iniciado a sua carreira de actor em 2000, no CTRIP, grupo de teatro académico da Faculdade de Direito da Univ. Nova de Lisboa, onde, de resto, se licenciou.

 Em 2006, passou a integrar a Companhia de Actores, grupo que, entre outros projectos, produz a mostra internacional de teatro MITO.

Desde 2001 que tem vindo a desenvolver a sua formação, destacando os cursos que frequentou sobre Interpretação (com António Terra, director da Companhia de Actores), Movimento (com Sandra Roque, bailarina e actriz), Expressão Dramática e Técnica d’ O Método (com Bruno Schiappa, Mestre em Estudos de Teatro pela Faculdade de Letras da Univ. de Lisboa) e Técnica de Meisner (com John Frey).

Além de peças como “Navalha na Carne”, encenada por António Terra, “O Espírito da Poesia”, uma criação da Companhia de Actores, “Viver é Raso”, escrita e encenada por Amauri Tangará (colaborador frequente d’O Bando) ou “Os Cães”, de Alexander Gerner, Tiago Fernandes tem também protagonizado algumas curtas-metragens, tais como “Inferno”, de Adriano Mendes e “Ligação Interrompida”, de Frederico Weinholtz, realizador recentemente premiado no Concurso 48 Hours Project Lisbon.

Margarida Moreira nasceu em Lisboa e estreia-se como actriz profissional em 1999 no palco da Casa do Artista, auditório Armando Cortez, pelas mãos de Pedro Varela com a peça Trainspotting.

Em 2003 conclui o curso profissional da Act e faz vários workshops para complementar a sua formação com professores como François Hoffman, Michael Margotta um dos fundadores do “Método” e diretor do Actor´s Studio di Roma, Marie Brand, Valentin Teplyakov professor da GITIF - Academia Russa de artes de Moscovo e John Frey do Studio for Actors sobre a técnica de Meinsner.

Em cinema participa em várias curtas-metragens onde destaca O teu sapato que lhe vale uma nomeação de melhor atriz em curta-metragem pelo CinEuphoria 2012. Participa também em filmes como Fatalista e Corrupção de João Botelho e mais recentemente no filme Bairro.

Em televisão participa em várias produções entre elas os Morangos com Açúcar, Nunca desistas de mim e a série Bairro da Estrela Polar.

No teatro trabalha sob a direção de José Carlos Garcia, Attílio Riccó, Stefano Vizioli, João Lourenço, Maria Emília Correia, Michel Simeão, entre outros. Destacam-se trabalhos como A culpa de Peter Pina e Chorar e secar onde trabalha com Raquel Dias e através da qual é convidada para fazer parte da Voz Humana.

Catarina Mago é actriz, formada na Escola Profissional de Teatro de Cascais, desde 2005.

Tem trabalhado em várias peças de teatro, principalmente teatro infantil, com a empresa Cativar a Cores.

Em televisão, foi a personagem Carla na série Diário de Sofia e, mais recentemente, foi Beatriz na série Lua Vermelha. Foi também Sabrine, na série Maternidade.

Recentemente participou, também, na curta metragem Um Dia Longo, realizada por Sérgio Graciano.

Em 2008, foi a voz de Titu, no cd musical Tu e Titu.

Tem apostado sempre na formação tanto de canto como de interpretação, tendo acabado em 2011 o curso John Frey Studio for Actors, de Técnica de Meisner.

Carolina Abrantes nasceu em 1982, em Lisboa. É actriz, encenadora e dá aulas de Iniciação ao Teatro e de Expressão Dramática a adultos e crianças.
A sua formação artística começa aos 6 anos com aulas de Ballet, realizando espectáculos no Teatro Maria Matos e no Teatro Tivoli. Aos 10 anos começa a sua formação musical, estudando solfejo e guitarra clássica. Aos 14 anos inicia a sua jornada no Teatro, realizando um curso intensivo com Carlos de Almeida (Teatro Independente de Oeiras). Fez teatro amador no TAESO, com a actriz e encenadora Susana Arrais e participou em peças de teatro infantil e teatro-dança.
Licenciou-se em Ciências da Comunicação e da Cultura, na Universidade Lusófona, em 2004 e em Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL), em 2009, com a coordenação da actriz
Maria João Luís e Pedro Domingos. Teve como professores e encenadores Miguel Borges, Dinarte Branco, Gonçalo Amorim, Madalena Vitorino, João Fiadeiro, Nuno Pino Custódio, Aldara Bizarro, Romeu Costa, Catarina Câmara, Sofia Cabrita, Marta Carreiras, Pedro Domingos, entre outros. Estudou a Técnica Meisner, com John Frey, em Jonh Frey Studio for Actors.
Em 2012, criou o GERADOR Teatro e encenou “Loucos Por Amor” de Sam Shepard.

Joana Pais de Brito é actriz e formou-se na William Esper Studio, em Nova Iorque. Desde que regressou, em 2011, tem integrado diversos projectos, desde teatro, cinema e televisão.

Em teatro participou recentemente numa produção os Lisbon Players, com a peça “Dr. Feelgood”, de Armando Nascimento Rosa.

Teve a sua estreia no cinema em 2011 com o filme “Celeste”, que coescreveu com José Norton e protagonizou. Este filme já entrou em vários festivais de cinema internacionais e foi premiado no Manhattan Film Festival.

Em televisão participou no telefilme “As Almas Penadas”, a estrear brevemente na RTP e deu voz à personagem Maria, na curta-metragem de animação “Adolfo”.

Participou também na série “The Coffee Shop Series”, escrita por Luisa Fidalgo e produzida pela Sic Radical.

Salvador Nery nasce a 26 de Dezembro de 1989 em Lisboa, tendo começado o seu percurso como actor em 1998, com a Sitcom “Uma casa em Fanicos”, série protagonizada e dirigida por Nicolau Breyner. Seguem-se "Uma Aventura" e "Os Santos da Casa".

Em 2010 começa uma longa colaboração com o grupo de Teatro da Associação Cultural Confluência, onde participou em projectos como: "Dia do Consumidor" "Mãe Natureza", Recital de poesia "Amor Intemporal", e "A Música e a Alma", todos eles de Autoria de Maria Helena Torrado e com encenação de Ricardo Carriço.

Durante cerca de um ano e meio, conclui um workshop e um curso intensivo na técnica de Meisner dados pelo actor e professor Norte Americano John Frey. No decorrer da formação, faz uma paragem de um mês e meio para gravar a sua primeira longa-metragem como protagonista, "A Rapariga da Máquina de Filmar", nomeada recentemente para melhor longa-metragem no festival "Caminhos do Cinema Português".

É o actual apresentador do Programa Infantil Art Attack que já decorre há três temporadas, e os seus trabalhos mais recentes para além das curtas metragens “Manifesto dos Danados” e “Pária, Nem tudo o que vem à rede é peixe”, passam pela mini-série Infanto-Juvenil “1+1” para a R.T.P., e também com uma participação de 15 episódios na Novela “Louco Amor” para a TVI.

 


Joana Câmara é de Lisboa e nasceu a 26 de Julho de 1980. Licenciou-se em Português-Francês e fez mestrado em Estudos de Teatro na Faculdade de Letras de Lisboa onde se inicia na representação com os grupos Artec e GTL.

Trabalhou como actriz na Companhia de Actores (Oeiras) e desenvolveu criações independentes como “A manhã volta sempre” (espaço SOU). Deu aulas de teatro a seniores e encenou grupos de teatro juvenis e académicos em Lisboa e Belgrado (onde também viveu).

Fez formação em dança clássica e dança contemporânea, tendo trabalhado como bailarina. Recentemente formou-se em técnica Meisner no John Frey Studio for Actors.

Make a Free Website with Yola.